26 agosto 2016

Vírgulas

Caminho para o Forte dos Reis Magos - Natal - RN
Se é verdade que precisamos de pontos finais, também é verdade que algumas coisas na vida pedem apenas vírgulas, uma pequena pausa para colocar as ideias no lugar.

A vírgula é um convite para ir mais devagar, ela te dá a chance de pensar se para e conclui ou se continua, pode ser também hora de listar grandes acontecimentos ou coisas que precisam ser esquecidas.

Um vírgula no lugar errado muda todo o sentido, assim também é na vida, se você fica estático quando precisa correr ou se vai depressa demais quando é hora de observar, você não perceberá qual é o seu momento. Mudar o sentido das coisas às vezes é necessário, principalmente se algo dentro de você clama por isso e você nem percebe, assim fica mudando as vírgulas de lugar sem perceber o que está fazendo.

Algumas pessoas só usam pontos: se de interrogação é porque não confiam, não se entregam, não se permitem. Se de exclamação vivem tão intensamente que não param, porém as mais tristes e que mais me atormentam são aquelas que só usam pontos finais, seja para encerrar pequenos períodos ou grandes ciclos, mas também são cheias de certezas, seu dia a dia não tem reticências, nem vírgulas, elas simplesmente são e nada se pode fazer se elas não quiserem mudar o jeito de escrever sua vida.Tantos sinais e o ser humano é uma criatura tão complexa que se atormenta em escolher um, mal sabe que um bom texto precisa de todos eles. O que seriam das eternas vírgulas se não pudéssemos por um ponto final? Todavia, quão duro é um ponto final se temos tantas vírgulas pra contar?


Todo mundo merece um ponto final para aliviar o peso das vírgulas
( Márcio Rodrigues - Blog Um travesseiro para dois)

18 de Agosto/2016 

22 agosto 2016

Trilha sonora - Happy

Definitivamente meu repertório musical é o mesmo desde que eu nasci, já que assumidamente tenho problemas com nomes e letras de música, então, para aprender uma música nova por semana( pelo menos) vou pedir ajuda das pessoas e dividir o que encontrar, para começar instalei o aplicativo Spotfy e a primeira música que ele tocou pra mim foi exatamente Happy, um bom exemplo de uma música conhecida, mas que eu não sabia o nome e nem quem cantava( risos).

Boa pedida pra começar a brincadeira! A música não podia ter energia melhor.


Happy - Pharrel Williams 
( https://www.vagalume.com.br/pharrell-williams/happy.html) 

It might seem crazy what I'm about to say
Sunshine she's here, you can take a break
I'm a hot air balloon that could go to space
With the air, like I don't care baby by the way

Because I'm happy
Clap along if you feel like a room without a roof
Because I'm happy
Clap along if you feel like happiness is the truth
Because I'm happy
Clap along if you know what happiness is to you
Because I'm happy
Clap along if you feel like that's what you wanna do

Here come bad news talking this and that
Yeah, well, gimme all you got and don't hold back
Yeah, well I should probably warn you I'll be just fine
Yeah, no offense to you don't waste your time
Here's why

Because I'm happy
Clap along if you feel like a room without a roof
Because I'm happy
Clap along if you feel like happiness is the truth
Because I'm happy
Clap along if you know what happiness is to you
Because I'm happy
Clap along if you feel like that's what you wanna do

(Happy) bring me down
Can't nothing (happy) bring me down
My level's too high (happy) to bring me down
Can't nothing (happy) bring me down
I said
(Happy, happy, happy) bring me down
Can't nothing bring me down
My level's too high (happy) to bring me down
Can't nothing bring me down
I said

Because I'm happy
Clap along if you feel like a room without a roof
Because I'm happy
Clap along if you feel like happiness is the truth
Because I'm happy
Clap along if you know what happiness is to you
Because I'm happy
Clap along if you feel like that's what you wanna do

Because I'm happy
Clap along if you feel like a room without a roof
Because I'm happy
Clap along if you feel like happiness is the truth
Because I'm happy
Clap along if you know what happiness is to you
Because I'm happy
Clap along if you feel like that's what you wanna do

(Happy) bring me down
Can't nothing (happy) bring me down
My level's too high (happy) to bring me down
Can't nothing (happy) bring me down
I said

Because I'm happy
Clap along if you feel like a room without a roof
Because I'm happy
Clap along if you feel like happiness is the truth
Because I'm happy
Clap along if you know what happiness is to you
Because I'm happy
Clap along if you feel like that's what you wanna do

Because I'm happy
Clap along if you feel like a room without a roof
Because I'm happy
Clap along if you feel like happiness is the truth
Because I'm happy
Clap along if you know what happiness is to you
Because I'm happy
Clap along if you feel like that's what you wanna do

C'mon

19 agosto 2016

Olimpíadas 2016 - Copacabana, Vôlei de praia e a torcida


Estar nos Jogos Olímpicos já era sensacional, uma sensação única. Observar as pessoas com diferentes culturas e idiomas, todas juntas, ali misturadas e parte do mesmo espetáculo da Terra. Tudo bem pra você, seu chato que está me chamando de alienada e que gostaria de explodir tudo por conta da forma como nosso país conduz as coisas, mas eu acredito no poder do momento, mesmo quem não pode estar nos jogos pode lucrar com algo, pelo menos ali no Rio, eu concordo, nem seria besta em discordar de que um grande dinheiro foi gasto e um outro tanto desviado, que muito poderia ter sido feito e blá, blá, blá...

Tudo isso era pra ter sido dito, protestado e argumentado antes, com os jogos rolando só nos resta aproveitar e torcer para que tudo seja lindo e inesquecível e assim foi, desde a recuperação de Diego Hipólito, as medalhas daquelas unanimidades e o brilho da torcida.

Cerveja? Só se pegar fila grande
... e era na torcida que queria chegar, principalmente naquela em que eu fiz parte. Quando comprei o ingresso não sabia quem jogaria e dei muita sorte em ver 2 duplas brasileiras, primeiro Alison e Bruno contra os espanhóis, um jogo vivo, empolgante onde cantamos todas músicas do vôlei: Ace, block moster, vibramos com os ataques decisivos e fizemos ola, cantamos "sou brasileiro com muito orgulho" e Ivete Sangalo com "ôôôô - alegria! Alegria!

O sol queimava nas costas e era preciso ficar abraçada na canga o tempo todo, foi tão bom que acabou rápido, que tristeza! ( risos), cada ingresso dava direito a 2 jogos e o outro era Canada x Canada e a torcida brasileira gritava o que? Canada, lógico. E brincavam, já que as 4 jogadoras eram altas e loiras, curtição do momento.

Do outro lado - Arena de Copacabana lotada
Na parte da tarde, o jogo seria Pedro Solberg x Evandro, mas esses não tiveram força e concentração para seguir, jogaram os 3 sets, mas se complicaram muito, e a torcida? Cantou e incentivou o tempo todo.

No outro jogo vimos, as já campeãs olímpicas, as alemãs Laura Ludwig e Kira Wlakenhorst vencerem as suíças.

Ficou ainda o gostinho de assistir Agatha e Barbara ( que brilharam muito nestes jogos e ganharam as medalhas de prata) e Larissa/ Talita( deixando uma tristeza no coração de quem curte o vôlei de praia), mas não dava pra ver tudo em um dia.

Saldo positivo.

Como e quando voltamos? Lembram que a gente tinha chegado às 5h45, pegamos o ônibus das 22h de volta, as costas já estavam reclamando, as pernas não respondiam mais, descobrimos que não temos 15 anos como achávamos, dormimos tão profundo no ônibus que nem vimos as paradas, apenas acordamos em Santos, mas faríamos tudo de novo.

18 agosto 2016

Rio 2016 - Eu fui

Rio 2016 - Vôlei de Praia - Copacabana

Quando me lembro que o Apenas Um ponto Esportivo já bombou na rede e era conhecido dos atletas de vôlei de praia, numa época em que eu sabia tudo a respeito desse esporte, não dá pra acreditar que perdi as inscrições para comprar os primeiros ingressos dos jogos e da abertura, muito menos de que havia marcado férias e esquecido( pasmem! ) dos Jogos Olímpicos. Um belo dia, fazendo sei lá o que, abriu pra mim aquelas janelinhas inconvenientes de propaganda dizendo: "Novos ingressos pro Rio 2016" - momento de reflexão: - "por que eu estou indo pro Nordeste e não pro Rio?" 

Eu bem sabia a resposta, aquele monte de gente descrente do evento, o momento ruim da economia e da política brasileira, os ataques terroristas pelo mundo, assombrando o evento, a violência no Rio, eram realmente motivos fortes para não pensar em ir pros Jogos, mas me deu uns 5 minutos, mandei 3 mensagens no Whatsap e me animei, comecei a procurar lugar pra ficar, avião, ônibus e tudo que me levaria ao Rio. 


Naquele momento, com hotéis caríssimos e uma cama no Hostel em quarto compartilhado por R$850,00 colocaram uma dúvida na minha mente, mas mesmo assim, comprei os ingressos, ainda demorei 2 dias, o suficiente para perder o lote mais barato, mas não desisti, fiquei na dúvida entre a quadra e a praia, mas tinha que decidir e pensar na possibilidade de voltar no mesmo dia. 

Só passava pela minha cabeça que por preguiça não tinha ido à Copa, nem que fosse para um jogo xinfrin pra fazer parte da brincadeira, me lembrei também que vários ônibus saíram da paróquia rumo ao mesmo Rio de Janeiro para a Jornada Mundial da Juventude  e a velha aqui pensou que não aguentaria, doeu a coluna, as pernas e a animação só de pensar, mas o que doeu mesmo foi a vontade de estar lá com os meus, curtindo aquele momento quando eu vi as fotos no Face. Decidi: Vou pro Rio 2016 nem que seja sozinha, mas não precisou. 

Eu e uma amiga de muitos anos embarcamos nessa, outros foram convidados e não puderam, nos preparamos pra ir, São Pedro deu uma sacaneada derrubando a temperatura na véspera da viagem, saímos de Santos rumo à capital fluminense no ônibus das 22h30, muito frio, chegamos no Rio as 5h45 e ficamos na rodoviária Novo Rio até às 7h30 quando chamamos o Uber e fomos pra Copacabana. O motorista, carioca da gema, nos mostrou a arena de longe: "olha, é ali o palco de vocês!"

Bons momentos partilhados - visite Sofianosjogos.blogspot.com


Apesar de não ter onde ficar, tive a oportunidade de reencontrar uma parceira de vôlei de praia, de torcida, de blog - Ana Sofia - veio pra abertura, se preparou como ninguém desde 2009, estava hospedada por lá e nos acolheu em seu QG - onde pude ainda conhecer a Karina Zanela, outra blogueira e fã do vôlei de praia e (em especial da Larissa) e outras meninas também torcedoras, tudo herança do Apenas um Ponto Esportivo. Ana Sofia fez até um blog pra contar sua aventura - Vale a pena visitar ( aqui

Quando nos dirigimos a arena não sabíamos se admirávamos a beleza do Rio ou o encanto do evento: era verdade, a gente estava fazendo parte daquilo, e como tudo estava lindo! Quanta gente bonita! A gente tinha 15 anos de novo, nos olhávamos e dizíamos: " A gente veio! "; " Ainda bem, que a gente veios!" - Obrigada, meu Deus, por essa oportunidade. 



Entramos na arena, tiramos foto, muitas fotos e continuávamos a dizer: Que bom que a gente não desistiu!  

Assistimos Bruno e Alison que daqui a pouco podem ser ouro! Tomara que sim! 

No próximo post falarei do que é estar na torcida pessoalmente. 

Dia do jogo: 13/08/2016 - Oitavas de final - Masculino e feminino
#vaibrasil #voleidepraia #rio2016

26 julho 2016

A Vergonha da Vila Olímpica

Quanto mais eu vejo menos eu creio na capacidade de síndrome de vira lata, sem vergonha, que acha que todo mundo é besta e vai aceitar qualquer desculpa do brasileiro. 

O país tinha ( tem) outras prioridades antes de uma Olimpíada, mas já que se meteu a fazer, gastou, um grande volume de dinheiro foi desviado como sempre nesta piada de lugar. Faz direito! 

Agora entregar uma vila olímpica com goteira, entupimento, lixo, fiação exposta, sem luz, vasos sanitários entopidos, ar condicionados que nunca funcionaram com defeito e pior: não assumir isso. 

Ah,... por fabor, cala boca prefeito! Cala boca comitê olímpico brasileiro! Para de aumentar essa vergonha! O prefeito do Rio de Janeiro teve a cara de pau de ironizar os australianos dizendo que colocaria cangurus para eles gostarem da vila. As fotos divulgadas envergonham, dão nojo, é um dinheiro totalmente mal gasto, um dinheiro que a gente já não tinha, gasto de qualquer maneira, é uma falta de cuidado e perfeição a qual reflete essa mania de querer dar um jeitinho, o problema do Brasil é o brasileiro. 

Muitos se revoltam, mas poucos fazem valer o que realmente acham, quando se informam, não sabem argumentar e viram militantes irritantes, daqueles que batem no peito e falam alto para impor o que acham, não sabem debater, não sabem comprovar, só esperneiam e ainda se acham entendidos de tudo. 

Voltando aos jogos olímpicos, quanta vergonha alheia! Os EUA contrataram encanador pra arrumar o apto deles. 

Os estrangeiros não são os brasileiros. 

E ainda vamos ver gente elogiando nossa estrutura. ( sqn) 

25 julho 2016

Espiritualidade

Santos
A “pobreza espiritual” não se refere apenas às pessoas que não frequentam igrejas ou não professam determinada religião. A espiritualidade extrapola a simples religiosidade, isto é, a religiosidade é um elemento da espiritualidade. Quando falamos de “pobreza espiritual”, estamos falando do descuido com esta dimensão fundamental da condição humana (na compressão antropológica afirmamos que o ser humano é unidade com dimensões: dimensão corporal e dimensão espiritual). Quando uma pessoa não cultiva o hábito de uma boa leitura (literatura boa, que expresse a vida, a beleza, a verdade do ser humano), quando não é capaz de apreciar uma boa música (que evidencie o mais profundo do ser humano), quando descuida do seu encontro com a natureza (observar, apreciar, embebedar-se da beleza da natureza! Quando foi a última vez que se arrepiou diante de um pôr do sol?), quando não tem tempo para apreciar o silêncio (hoje vivemos constantemente no barulho!), quando não cultiva relações autênticas (amor, amizades), sempre que não cuidamos desses aspectos em nossa vida, estamos nos empobrecendo espiritualmente. A vida espiritual tem a ver com a beleza, com a arte, com a profundidade humana; com as nossas relações, familiares, amigos, colegas; com a contemplação da natureza; com o encontro silencioso conosco mesmo, com o autoconhecimento; com a nossa relação com Deus. Cuidar da espiritualidade é cuidar de nossa saúde de modo integral.
Pe. Oscar 

Gostaria que as pessoa pudessem compartilhar um pouco da sabedoria do Pe. Oscar Lópes Maldonado - hoje na Paróquia Nossa Senhora das Graças - Vicente de Carvalho - Guarujá - SP

Você não é uma árvore

Chapada Diamantina
Na Cachoeira do Buracão

Dizem que nada se cria, tudo se copia, concordo discordando, hoje sugiro um texto do Contioutra
Achei o texto inteiro muito inteligente e delicado, o autor - Virgilio Magalde - foi muito feliz em expor nosso medo de oferecer nosso sentimento, nossa amizade, nosso amor e até nossa mão estendida. 
É sempre um questionamento sobre o que o outro vai pensar e fazer com o nosso gesto, de verdade? Não pense. Faça e depois veja no que deu, afinal como dizem, se fosse pra ficar parado você tinha nascido árvore, então se mova, por favor. Segue um pequeno trecho e não deixem de visitar o blog. 

Saiba que não há nada melhor do que demostrar os seus sentimentos e que isso é ter coragem. Isso é pular no rio. O medo pode estar presente, mas ele não vai lhe impedir de agir. Demostrar seus sentimentos é ser quem você é — a sua essência. Não guarde sentimentos, entregue-os com muito amor. Não faça trocas e nem cobre os sentimentos dos outros, deixe tudo livre e faça tudo por você.

É preciso saber quando é hora de entrar em um relacionamento
Ler mais: http://www.contioutra.com/e-preciso-saber-quando-e-hora-de-entrar-em-um-relacionamento/#ixzz4FO1RSnik

09 julho 2016

Diário de viagem #1 Portugal – Escolhendo o Hotel

Aeroporto Internacional de Campinas - Vazio


Decidimos viajar no inicio de 2015, mas o dólar, um desagradável companheiro, resolveu subir, subir e subir, ( se preferir pode dizer que real caiu, dará na mesma) e as passagens áreas estavam com valores impossíveis para um trabalhador. Esquecemos por um instante.

Faltavam 2 meses para as férias e resolvemos olhar novamente os preços e não é que tinha caído, estava quase 500 dólares a menos o que já fazia a conta fechar um pouco mais. Dica super importante que recebi na CVC foi que os aviões partindo do Aeroporto Internacional de Viracopos estavam bem mais em conta do que em Guarulhos, mais de R$1.000,00 reais por pessoa, essa foi a primeira decisão tomada, escolhemos voar Campinas – Lisboa.

O roteiro de viagem ainda era dúvida, orçamos na CVC primeiramente, sempre faço isso, já deu certo outras vezes, afinal se você der sorte, estará no final de semana dos voos fretados e conseguirá um super preço. Vale a pena sempre consultar. Na viagem para Paris em 2013, paguei no pacote com avião voo direto, hotel e traslado o que pagaria pelo avião com escala, tudo porque era um voo fretado.

A CVC me apresentou roteiros completos, com hotel e ônibus de viagem mudando de cidade quase todas as noites, passava por várias cidades e não tinha nenhuma tarde livre, visitava uma variedade boa de cidades e estava com promoção de cotação do dólar para fechamento imediato. Não quisemos, fiquei muito cansada só em imaginar que mudaria tanto de hotel e que não curtiria a cidade. Fiz um outro orçamento incluindo apenas o Hotel que saiu muito barato, sem café da manhã, isso alias é muito normal, fechei na agência apenas por segurança, pois estava indo para outro país e não queria surpresas. ( viagens nacionais eu fico no booking.com mesmo, ótima opção).


Reservei 3 diárias no Hotel Principe Lisboa, 3 no Tryp in Porto e mais 2 no mesmo hotel em Lisboa. Agora era resolver os passeios e como eu iria de Lisboa para Porto e de Porto para Lisboa, inclusive o traslado, porque 50 Euros por pessoa é muito dinheiro, num percurso que o táxi indica 15 Euros. Tinha que haver outra alternativa.